Departamento Científico

O Departamento Científico é formado pelos setores da Associação Paulista de Medicina – Santos destinados às especialidades médicas. Os departamentos de especialidades, além de defender os interesses dos médicos da categoria, desenvolvem atividades ligadas ao aperfeiçoamento dos profissionais por meio de simpósios, palestras, workshops e outros eventos científicos.

Diretor Científico

Dr. Flávio Ferraz de Paes e Alcântara

 Ao Diretor Científico compete:

a) Coordenar a programação das atividades científicas da Associação Paulista de Medicina Santos;

b) Ser o responsável pela divulgação científica nos meios de comunicação;

c) Representar a Diretoria na Comissão Científica sendo o seu Coordenador;

d) Executar as atribuições específicas que lhe forem atribuídas pela Diretoria concernentes às suas atividades.

Departamento de Acupuntura

Presidente

Dra. Ana Beatriz Soares

1º Secretário

Dra. Lourdes Teixeira Henriques

2º Secretário

Dr. Ricardo Morad Bassetto

Coordenador Científico

Dra. Eliana Tschaen

 

O que é?

A Acupuntura é a prática fundamental da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), usada há mais de 4000 anos no Oriente e agora difundida no Ocidente. Os fundamentos da Acupuntura têm comprovação científica no Brasil e a prática médica está entre as 50 especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) e pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

A técnica se baseia em energias que percorrem o corpo. Esses trajetos, – meridianos ou canais de energia -, passam pelos órgãos e vísceras e se exteriorizam na pele e estruturas próximas, como, tecido subcutâneo, músculos, tendões e outras.

Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo

Departamento de Alergia

Presidente

Dra. Rosana Giannico

Coordenadora Científica

Dra. Ana Beatriz Soares

Departamento de Angiologia e Cirurgia Vascular

Presidente

Dr. Mariano Gomes da Silva Filho

Secretário

Dr. Paulo Fernando Carvalho Iervolino

O que é?

É o ramo da medicina especializado em doenças circulatórias periféricas como varizes, erisipela, flebites, aneurismas, gangrenas e tromboses venosas. Dependendo da ocorrência, a doença de origem circulatória é corrigida por meio de intervenções clínicas ou cirúrgicas. Até o ano de 2006, no Brasil, as duas abordagens, clínica e cirúrgicas, eram realizadas por uma especialidade unificada que levava o nome de Angiologia e Cirurgia Vascular. Entretanto, após várias discussões com sociedades de especialidades médicas foi separada em duas especialidades distintas, através da resolução CFM Nº 1.763/05.

A angiologia encarrega-se do estudo, diagnóstico e tratamento clínico das doenças vasculares. O tratamento clínico consiste em ações para promoção, prevenção, recuperação da saúde através de alterações dos hábitos de vida, medicamentos e exercícios físicos usualmente.

A cirurgia vascular também atua no diagnóstico, estudo e tratamento cirúrgico das enfermidades dos vasos. O tratamento cirúrgico pode ser da forma convencional – cirurgia através de incisões – ou por dentro dos vasos, cirurgia endovascular.

Departamento de Cardiologia

O que é?

É o ramo da medicina que estuda o funcionamento, a anatomia e as doenças do coração, das artérias, das veias e em geral de todos os componentes do sistema cardiovascular.

Sintomas relacionados a lesões de certas partes do coração ou aparelho circulatório também são examinadas pelo cardiologista, seja por meio da ausculta cardíaca, método não invasivo mais comum, seja pela realização de procedimentos cirúrgicos complexos.

 

Presidente

Dr. Carlos Alberto Cyrillo Sellera

Diretoria Científica

Dr. William da Costa

Diretoria de Relacionamento Acadêmico

Dr. Arnaldo Teixeira Ribeiro

Diretoria de Relacionamento

Dra. Suely Cardoso dos Santos

Diretoria de Programas de Prevenção Cardiológica

Dr. Nelson Lopes dos Santos

Diretoria de Publicação e Atualização

Dr. Carlos Vinetou Ayres

Diretoria de Atualização em Métodos Diagnósticos

Dra. Ana Lúcia Nunes Pereira

Diretoria de Atualização das Diretrizes em Cardiologia

Dr. Fábio de Freitas Guimarães Guerra

Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Presidente

Dr. Rogerio Aparecido Dedivitis

  

Departamento de Cirurgia Geral

Presidente

Dr. Carlos Henrique de Alvarenga Bernardes

1º Secretário

Dr. João Carlos Mendes Vasconcelos Guido

2º Secretário

Dra. Kátia Ferreira Guenagua

Coordenador Científico

Dr. Osvaldo Júnior Batista Marques

 

Departamento de Cirurgia Plástica

Presidente

Dr. Gilberto Luiz Gonzalez Monteiro

1º Secretário

Dr. Ricardo Gonçalves

2º Secretário

Dr. Antônio Carlos Vianello Picca

Coordenador Científico

Dr. Wail Queiroz Filho

 

O que é?

A cirurgia plástica tem por objetivo a reconstituição de uma parte do corpo humano por razões médicas ou estéticas. A cirurgia plástica se desenvolve sob duas facetas: a cirurgia plástica reparadora e a cirurgia plástica estética.

A cirurgia plástica reparadora tem como objetivo corrigir lesões deformantes, defeitos congênitos ou adquiridos. É considerada tão necessária quanto qualquer outra intervenção cirúrgica.

A cirurgia plástica estética é aquela realizada pelo paciente com o objetivo de realizar melhoras à sua aparência. A pessoa quando se submete a tal intervenção cirúrgica não a faz com intenção ou propósito de obter alguma melhora em seu estado de saúde, mas sim para melhorar algum aspecto físico que não lhe agrada.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

REGIONAL DE SÃO PAULO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA

Departamento de Clínica Médica

Presidente

Dr. Abram Drewiacki

Vice – Presidente

Dra. Rúbia Maria V. Rettori dos Santos

1º Secretário

Dr. Paulo Renato Vasconcelos de Souza

2º Secretário

Dr. José Norberto Ayres de Freitas

Coordenador Científico

Dr. Bruno Pompeu Marques

Coordenador Científico Adjunto

Dr. Elson Vidal Martins Júnior

 

O que é?

Também é conhecida como medicina interna, é a especialidade médica que trata de pacientes adultos, atuando principalmente em ambiente hospitalar. Também é referida como a medicina dos órgãos internos. A clinica médica engloba várias outras especialidades chamadas clínicas, como a pneumologia (pulmões), gastroenterologia (estômago e intestinos), neurologia (sistema nervoso) etc.

Departamento de Coloproctologia

Presidente

Dr. Messias Elias Neto

1º secretário

Dra. Kátia Ferreira Guenagua

Coordenador Científico

Dr. Airton Zohaib Rodrigues

O que é?

Coloproctologia é uma especialidade médica que estuda as doenças do intestino grosso (cólon), do reto e ânus.

Etimologicamente:

– colo: do latim collon, ou do grego kólon, significando parte do intestino grosso situada entre o íleo e o reto;

– procto: do grego proktós, significando ânus e, por extensão, reto;

– logia: do grego lógos, significando ciência, estudo.

Antes conhecida como Proctologia, a especialidade médica passou a ser melhor referida pelo termo Coloproctologia por incluir também o estudo e abordagem terapêutica das doenças do intestino grosso (cólon).

Comitê Multidisciplinar de Acadêmicos 

Presidente

Gabriel Ramos Senise

1º Secretário

Yuri Franco Trunckle

2º Secretário

Edgar Rossi Depieri

Coordenador Científico

Raphael Augusto G. da Silva

 Diretoria Distrital 

Patrícia Guanabara Novaes

Comitê Multidisciplinar de Dor

Presidente 

Dra. Mônica Yasmin Pinto Corrad

1º Secretário

Dr. José Caio dos Santos

2º Secretário

Dra. Ana Lúcia Pelliciari Galeotti

Coordenador Científico

Dr. Pércio Ramon Becker Benitez

Comitê Multidisciplinar do Sono

Presidente

Dr. Nelson Roberto Zecchin

1º Secretário

Dra. Andrea Anacleto

Coordenador Científico

Dra. Sara Bittante da Silva Albino

Departamento de Dermatologia

Presidente

Dr. Renato Sau Rios

1º Secretário

Dra. Josely Barroso Fernandes

2º Secretário

Dra. Vania Lucia Nogueira Mendes Tagliarini

Coordenador científico

Dr. Octavio Moraes Junior

O Departamento de Dermatologia da APM Santos tem como objetivo congregar os médicos dermatologistas das cidades da Baixada Santista, promovendo, a seus associados, atividades educativas (cursos, palestras etc.) para o aperfeiçoamento continuo dos especialistas. Para isso recebe suporte da SBD e da SBD-RESP (através do II Distrito Dermatológico Santos & Região), entidades que apoiam os serviços credenciados de ensino da especialidade, incentivando a pesquisa e publicações em Dermatologia e fomentando ações sociais, como a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele e outras ações (Psoríase, Hanseníase etc.).

Trabalha também com o objetivo de promover a Ética e Defesa Profissional dos dermatologistas de nossa região.

O que é?

Dermatologia é a especialidade médica, que se ocupa do diagnóstico, tratamento clínico-cirúrgico e de ações preventivas de todas as doenças que acometem o maior órgão do corpo humano: a pele e seus anexos (cabelos, unhas e as mucosas oral e genital).

É a especialidade médica mais indicada para atuação em cosmiatria cutânea e cirurgia dermatológica, manejando todo o arsenal terapêutico disponível nestas áreas.

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo

Departamento de Diagnóstico por Imagem

Presidente

Dra. Mitsue Cristiane Yamamura

1ª Secretário

Dr. José Carlos Clemente

2ª Secretária

Dra. Camila Yamamura Suzuki

Coordenador Científico

Dr. Éder Amaral Bastos

 

Departamento de Endocrinologia

Presidente

Dra. Maria Beatriz Sztoltz Tucci

Secretária

Dra. Ana Paula Lins Souza

Coordenador Científico

Dr. Jorge Bichir Maxta

 

O que é?

É a especialidade médica que estuda o funcionamento dos hormônios no organismo humano. Como existem receptores hormonais em praticamente todas as células do corpo, a fisiologia do homem sofre grande influência dos hormônios. As principais áreas de atuação do especialista que é denominado endocrinologista, são: tratamento do diabetes, da obesidade, alterações hormonais como desordens da glândula tireóide, alterações do ciclo menstrual e outras doenças relacionadas a falta ou excesso de hormônios.

Departamento de Endoscopia Digestiva

Presidente

Dra. Maria Terezina Fernandes

1º Secretário

Dr. Augusto Zago

2º Secretário

Dr. Roberto Alcântara Zarate

Coordenador Científico

Dr. Rodrigo de Rezende Zago

 

Departamento de Gastroenterologia

Presidente

Dra. Luciana Cleaver Aun

Coordenadora Científica

Dra. Flávia Gerbi Azevedo

O que é?

É a especialidade médica que se ocupa do estudo, diagnóstico e tratamento clínico das doenças do aparelho digestivo, que é composto pela boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso incluindo ainda o fígado, as vias biliares e o pâncreas. Além de diagnosticar e tratar as doenças comuns do aparelho digestivo, essa especialidade tem caráter preventivo, objetivando: orientar consumo de dietas mais saudáveis, incentivar a aplicação de vacinas contra os diversos tipos de hepatite, esclarecer a importância de exames que possam prevenir tumores do intestino grosso, combater o tabagismo, responsável pelo aumento dos casos de câncer de esôfago e do pâncreas.

Departamento de Geriatria

Presidente

Dr. Weldon José Rosa Lima

1º Secretário

Dr. Sérgio Luiz Rodrigues do Nascimento

2ª Secretária

Dra. Alcineide Maria da Mata Siqueira Correa

O que é?

Medicina geriátrica é o ramo da medicina que foca o estudo, a prevenção e o tratamento de doenças e da incapacidade em idades avançadas. O termo deve ser distinto de gerontologia, que é o estudo do envelhecimento em si.

Geriatras são médicos especializados no cuidado com o idoso e têm a sua formação variável em diferentes países, mas geralmente esta passa por uma formação generalista (medicina interna, medicina de família, etc.) e a seguir são treinados nos aspectos específicos da saúde do idoso.

A Gerontologia é a uma ciência que estuda o processo do envelhecimento. Cuida da personalidade e da conduta do idoso, levando em conta os aspectos ambientais e culturais do envelhecer. É uma ciência médico-social.

Em linhas gerais, a Gerontologia trata do processo do envelhecimento, enquanto a Geriatria foca no estudo de doenças da velhice e de seu tratamento.

Departamento de Ginecologia e Obstetrícia

Presidente

Dr. Claudio Marcellini

1º Secretário

Dr. Ricardo Zecchetto Saez Ramirez

2º Secretário

Dra. Izilda Ferreira Pupo

Coordenador Científico

Dr. Francisco Lazaro Pereira de Souza

O que é?

É a especialidade que trata da saúde da mulher, da infância até a terceira idade. Dedica atenção especial ao aparelho genital – composto por vagina, útero, trompas de falópio – tanto no aspecto curativo quanto preventivo. Estuda também a reprodução na mulher e investiga a gestação, o parto e o puerpério nos seus aspectos fisiológicos e patológicos.

 

Departamento de Hematologia

Presidente

Dra. Olivia Rodrigues Lage

1º Secretário

Dr. Jose Carlos Medina de Carvalho

2º Secretária

Dra. Eni Maria de Souza

Coordenador científico

Dr. José Eduardo Nicolau

O que é?

Hematologia e hemoterapia é a especialidade médica que trata das doenças e terapias relacionadas ao sangue.

Hematologia estuda, particularmente, os elementos figurados do sangue: hemácias (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas. Estuda, também, a produção desses elementos e os órgãos onde eles são produzidos: medula óssea, baço e linfonodos.

No Brasil, o Conselho Federal de Medicina prevê a necessidade de formação profissional através do curso de medicina, seguido de uma residência médica com duração de dois anos. O médico assim formado está habilitado a diagnosticar e tratar as doenças oncológicas do sangue (como leucemias e linfomas) e também a realizar os diversos procedimentos de tratamento com o uso do sangue (transfusões).

Departamento de Homeopatia

Presidente

Dra. Giselle Martins Cid Perez

1º Secretário

Dr. Roberto Debski

Coordenador Científico

Dr. Waldyr dos Santos

Departamento de Infectologia

Presidente

Dr. Evaldo Stanislau A. Araujo

O que é?

Infectologia é a especialidade médica que se ocupa do estudo das doenças causada por diversos patógenos como príons, vírus, bactérias, protozoários, fungos e animais. A infectologia também é chamada de “doenças infecto-parasitárias” (DIP) ou “moléstias infecciosas e parasitárias” (MIP).

No Brasil, a infectologia é uma especialidade médica, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, sendo determinado que, além do curso de Medicina, o profissional deva fazer uma residência médica que tem a duração de três anos. O infectologista atua na prevenção primária (educação em saúde, vacinação, etc.) e na prevenção secundária (tratamento de doenças infecciosas e prevenção de incapacidade causadas por estas).

Ao contrário de muitas especialidades médicas, nas quais a atuação se restringe a determinada parte do corpo, a infectologia aborda uma ampla gama de doenças de todos os órgãos e sistemas do organismo. Na prática e no cotidiano atual, existem algumas grandes aéreas de atuação do médico infectologista: SIDA/HIV, medicina tropical, CCIH e doenças piogênicas.

Departamento de Medicina Baseada em Evidências

Presidente

Dr. Luiz Antonio da Silva

1º Secretário

Dr. Willian da Costa

2º Secretário

Dr. Erico Paulo Heilbrun

Coordenador científico

Dra. Olivia Rodrigues Lage

 

O que é?

A medicina baseada em evidências (MBE) é um movimento médico que se baseia na aplicação do método científico a toda a prática médica, especialmente àquelas tradicionalmente estabelecidas que ainda não foram submetidas ao escrutínio sistemático científico. Evidências significam, aqui, provas científicas.

A Medicina Baseada em Evidências adota técnicas oriundas da ciência, engenharia e estatística tais como: meta-revisões da literatura existente (também conhecidas como meta-análises), Análise de risco-benefício, Experimentos clínicos aleatorizados e controlados, Estudos naturalísticos populacionais, dentre outras.

A medicina baseada em evidências luta para que todos os médicos façam “uso consciencioso, explícito e judicioso da melhor evidência atual” quando fazem decisões em seu trabalho de cuidado individual dos pacientes.

A prática da MBE implica não somente conhecimento e experiência clínicas, mas também “expertise” em procurar, encontrar, interpretar e aplicar os resultados de estudos científicos epidemiológicos aos problemas individuais de seus pacientes. Implica ainda saber como calcular e comunicar os riscos e os benefícios dos diferentes cursos de ação aos seus pacientes.

Os críticos da MBE dizem que muitos médicos já fazem isto em sua prática médica. Também dizem que evidências científicas são, frequentemente, deficientes em muitas áreas do conhecimento médico. Dizem que a falta de evidência de benefícios e que a falta de benefícios não são a mesma coisa e que quanto mais dados são reunidos e agregados, mais difícil se torna comparar os resultados de uma pesquisa específica com aqueles do paciente que está sendo tratado.

A despeito de todos esses problemas, a MBE tem tido cada vez mais sucesso em tornar a afirmação ex cathedra do médico especialista na forma menos válida de evidência. Agora, os todos os médicos experts devem, sempre que possível, procurar basear seus pronunciamentos em referências da literatura relevante. Assim, a Medicina Baseada em Evidências contrapõe-se a chamada Medicina Baseada na Autoridade.

Por exemplo, se um médico oftalmologista diz que não há necessidade de se realizar a assepsia de um aparelho que entra em contato com a córnea de seu paciente antes de usá-lo em outro paciente, ele deverá fornecer uma evidência – uma prova científica – dessa afirmação.

Assim, deverá procurar um estudo epidemiológico em que foi acompanhado um número suficiente de pacientes que tiveram o exame realizado após assepsia do aparelho, comparado com um número semelhante de outros pacientes que tiveram o exame realizado sem a referida assepsia, por um período de tempo adequado.

Se tal estudo não existir, deverá montar tal estudo. Após o período de acompanhamento (de anos a décadas) deverá ser analisada a história de todos os pacientes quanto a quaisquer alterações de saúde.

Segundo a Medicina baseada em Evidências, é apenas após a aplicação de um método estatístico adequado aos resultados de incidências de doenças (oculares e não oculares) de ambos os grupos, que se poderá chegar à conclusão de que a realização da assepsia do aparelho é necessária ou não. Qualquer profissional – seja médico ou não – que realize qualquer afirmação sobre a saúde de uma pessoa sem embasá-la em estudos científicos está fazendo medicina baseada em autoridade e não medicina baseada em evidências científicas.

Departamento de Medicina Esportiva

Presidente

Dr. Rodrigo Kallas Zogaib

1º Secretário

Dr. Carlo Alba de Araujo

Coordenador Científico

Dr. Miguel Angelo Moscoso Naveira

 

O que é?

Medicina esportiva é uma especialidade médica que inclui segmentos teóricos e práticos da medicina com o objetivo de investigar a influência do exercício, do treinamento e do esporte sobre as pessoas sadias ou doentes, com a finalidade de prevenir, tratar e reabilitar. Desta maneira, se ocupa de avaliar e acompanhar os praticantes de atividade físico-desportiva antes, durante e após a prática desta atividade. Por outro lado, a Medicina Desportiva está direcionada não só a atletas de alto nível, mas, também, pessoas não atletas que procuram utilizar a atividade física como meio de melhorar sua saúde.

Departamento de Medicina Intensiva e Urgências

Presidente

Dr. André Scazufka Ribeiro

Coordenador Científico

Dr. José Ricardo Gomes de Alcântara

Departamento de Medicina do Trabalho

Presidente

Dr. Marcelo Fernando Masteguim

1º Secretário

Dr. Marcelo Andre de Barros O. Hernandez

2º Secretário

Dr. Alberto Augusto G. Gonçalves

Coordenador Cientifico

Dr. José Francisco Capela de Almeida

O que é?

A Medicina do Trabalho é a especialidade médica que lida com as relações entre homens e mulheres trabalhadores e seu trabalho, visando não somente a prevenção dos acidentes e das doenças do trabalho, mas a promoção da saúde e da qualidade de vida. Tem por objetivo assegurar ou facilitar aos indivíduos e ao coletivo de trabalhadores a melhoria contínua das condições de saúde, nas dimensões física e mental, e a interação saudável entre as pessoas e, estas, com seu ambiente social e o trabalho.

A Medicina do Trabalho está construída sobre dois pilares: a Clínica e a Saúde Pública. Sua ação está orientada para a prevenção e a assistência do trabalhador vítima de acidente, doença ou de incapacidade relacionados ao trabalho e, também, para a promoção da saúde, do bem estar e da produtividade dos trabalhadores, suas famílias e a comunidade.

Merece destaque a posição de vanguarda da Medicina do Trabalho na Baixada Santista, em especial dos profissionais que atuam no polo industrial de Cubatão. Desde o trabalho pioneiro do saudoso Dr. Oswaldo Paulino – fundador e 2º presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT)- até os atuais integrantes da Comissão Técnica de Medicina Ocupacional (COMMED) do CIESP / Cubatão.

O objetivo do Departamento de Medicina do Trabalho da APM Santos é compartilhar esta experiência com todos os colegas que atuam na área, mantendo o papel de destaque que a região sempre teve no exercício desta. Atua em forte parceria com a Associação Paulista de Medicina do Trabalho, visando o fortalecimento da especialidade, não somente em Santos, mas em toda Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira.

Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Associação Paulista de Medicina do Trabalho

Departamento de Medicina do Tráfego

Presidente

Dr. João Francisco Rodrigues Faria

Vice – Presidente

Dra. Ana Helena Raposo Ferreira

1ª Secretária

Dra. Márcia Souza Carvalho

2º Secretário

Dr. Arnaldo Martinho

Coordenadora Científica

Dra. Gabriela M. de Oliveira

Departamento de Nefrologia

Presidente

Dra. Rubia Marina Vieira Rettori dos Santos

Coordenador Científico

Dr. Danilo Abrantes Coelho

Departamento de Neurocirurgia

Presidente

Dr. Marcelo Antonio Duva Borgheresi

1º Secretário

 

Dr. Antônio Carlos Grela Santos

2º Secretário

Dr. Imero Couto

Coordenador Científico

Daniel Agapito

O que é?

É a ciência que estuda os distúrbios e patologias dos sistemas nervosos central (cérebro, medula espinhal e alguns nervos da visão) e periférico (ramificações de nervos que se espalham por todo o corpo humano). Dentre as patologias tratadas, destacam-se: derrames, cefaléias e enxaquecas, epilepsias, neuropatias, depressões, desordens da memória e do intelecto (síndromes domenciais).

Departamento de Nutrologia

Presidente

Dra. Márcia Souza Carvalho

Coordenador Científico

Dra. Taís Gago Jordão

Departamento de Oftalmologia

Presidente

Dr. Gustavo Teixeira Grottone

1º Secretário

Dr. Rodney Willians de Castro

2º Secretária

Dra. Lenice Matano Salgado e Carvalho

Coordenador científico

Dra. Renata Louise Battisti Archer Danelon

O que é?

É o ramo da medicina dedicada à estrutura, função e doenças da visão. Especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento das doenças e erros de refração apresentados pelo olho. O médico oftalmologista realiza cirurgias, prescreve tratamentos e correções para os distúrbios de visão. A oftalmologia, assim como várias outras especialidades da medicina, tem várias sub-especialidades, entre elas a oftalmo-pediatria, a plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina, etc.

Departamento de Oncologia

Presidente

Dr. Alberto Pessoa de Souza

1º Secretário

Dr. João Paulo Calife

2º Secretário

Dra. Sueli Monterroso da Cruz

Coordenador Científico

Dr. Eduardo Silveira

Departamento de Ortopedia

Presidente

Dr.Maurício Rodrigues Zenaide

1º Secretário

Dr.Sergio Ribeiro de Magalhães

2º Secretário

Dr. Maurício Sgarbi

Coordenador Científico

Dr. Fábio Peluzo Abreu

O que é?

Ortopedia é a especialidade médica que cuida das doenças e deformidades dos ossos, músculos, ligamentos, articulações, enfim, elementos relacionados ao aparelho locomotor; trata das alterações em osso, músculos e articulações sejam elas congênitas (desde o nascimento), desenvolvidas durante a vida do paciente, ou por causa de problemas de postura em conseqüência da idade, acidentes ou doenças. Existem diversas doenças ósseas que independem do trauma, como o câncer ósseo, luxações congênitas e deformidades ósseas que necessitam de tratamento médico.

A Traumatologia é a especialidade médica que lida com o trauma do aparelho músculo-esquelético. No Brasil as especialidades são unificadas, recebendo o nome de Ortopedia e Traumatologia.

Departamento de Otorrinolaringologia

Presidente

Dra. Ana Letícia Bittante S. Albino

1º Secretário

Dra. Caroline Maria Dinato Assunção

2º Secretário

Dr. Guilherme P. Laham

Coordenador Científico

Dr. Mateus Claudino Cannarella

O que é?

É a especialidade médica que trata de problemas relacionados ao ouvido, nariz, seios da face e garganta, seja através de medicamentos, seja por meio de procedimentos cirúrgicos. O otorrinolaringologista também é o responsável por diagnosticar e tratar lesões nas pregas vocais, como: nódulos, pópilos, cistos, fendas. E trata também adenóides e amídalas. A otorrinolaringologia (ORL) é considerada uma das mais completas especialidades médicas do mundo, com características clínicas e cirúrgicas.

Departamento de Patologia Clínica

Presidente

Dr. Flavio Ferraz Paes de Alcântara

1º Secretário

Dr. Alberto Augusto Guimarães Gonçalves

2º Secretário

Dr. Ivan Akaoui Vianna

Coordenador científico

Dr. Luiz Antonio da Silva


O que é?

Patologia clínica ou medicina laboratorial é uma especialidade médica que tem por objetivo auxiliar os médicos de diversas especialidades no diagnóstico e acompanhamento clínico de estados de saúde e doença, através da análise de sangue, urina, fezes e outros fluidos orgânicos.

Doenças sexualmente transmissíveis (ou DST) ou Infecção sexualmente transmissível são patologias antigamente conhecidas como doenças venéreas. São doenças infecciosas que se transmitem essencialmente (porém não de forma exclusiva) pelo contato sexual. O uso de preservativo (camisinha) tem sido considerado como a medida mais eficiente para prevenir a contaminação e impedir sua disseminação.

Vários tipos de agentes infecciosos (vírus, fungos, bactérias e parasitas) estão envolvidos na contaminação por DST, gerando diferentes manifestações, como feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.

Algumas DST’s são de fácil tratamento e de rápida resolução quando tratadas corretamente. Outras são de tratamento difícil ou permanecem latentes, apesar da falsa sensação de melhora.

Departamento de Pediatria

Presidente

Dra. Glaucia Veiga Correa

Coordenador Científico

Dr. Antenor Raphaelli Neto

 

O que é?

É a especialidade médica dedicada a assistência à criança e ao adolescente, nos seus diversos aspectos, sejam eles preventivos ou curativos. Aspectos preventivos envolvem ações como aleitamento materno imunizações (vacinas), prevenção de acidentes, além do acompanhamento e das orientações necessárias a um crescimento e desenvolvimento saudáveis (puericultura). Os curativos correspondem aos diversos procedimentos e tratamentos das mais diversas patologias exclusivas ou não da criança e adolescente.

Departamento de Pneumologia

Presidente

Dr. Virgílio Alexandre Nunes de Aguiar

Coordenador Científico

Dr. José Eduardo Gregório Rodrigues

Comitê Multidisciplinar de Perícias Médicas

Presidente

Dr. José Ricardo Gomes de Alcântara

Coordenador Científico

Dra. Ana Luiza Serra Mourão Correia

Departamento de Psiquiatria

Presidente

Dr. Miguel Ximenes de Rezende

1º Secretário

Dr. Everardo Furtado de Oliveira

2º Secretário

Dr. Gilberto Simão Elias

Coordenador científico

Dr. Moyses Aron Gotfryd

O que é?

É uma especialidade da medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das doenças mentais em humanos, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, tais como depressão, doença bipolar, esquizofrenia e transtornos de ansiedade. A meta principal é o alívio do sofrimento psíquico e o bem-estar psíquico. Para isso, é necessária uma avaliação completa do doente, com perspectivas biológica, psicológica, sociológica e outras áreas afins. Uma doença ou problema psíquico pode ser tratado através de medicamentos ou várias formas de psicoterapia. A avaliação psiquiátrica envolve o exame do estado mental e a história clínica. Testes psicológicos, neurológicos, neuropsicológicos e exames de imagem podem ser utilizados como auxiliares na avaliação, assim como exames físicos e laboratoriais. Para uso dos testes devem ser procurados os profissionais específicos autorizados para aplicá-los. Os procedimentos diagnósticos são norteados a partir do campo das psicopatologias; critérios bastante usados hoje em dia, principalmente na saúde pública, são a CID-10 da Organização Mundial de Saúde, adotada no Brasil, e o DSM-IV da American Psychiatric Association.

Departamento de Reumatologia

Presidente

Dr. Paulo Augusto Alambert

Coordenadora Científica

Dra. Maria de Fátima Heilbrun

Departamento de Urologia e Andrologia

Presidente

Dr. Gilberto Antunes Alvarez

1º Secretario

Dr. Walter Antonio Melarato Jr.

2º Secretario

Dr. José Carlos L. Sotto Furtado

Coordenador Científico

Dr. Luiz Augusto G. Elias

O que é?

Urologia é a especialidade médica que cuida das doenças do aparelho genital masculino e das doenças do aparelho urinário masculino e feminino. As doenças do aparelho genital feminino são abordadas pela ginecologia.

A Andrologia é um ramo da medicina que estuda a saúde masculina, no que diz respeito às funções reprodutoras e sexuais do homem. Qualquer diagnóstico ou prognóstico relacionado ao fator sexual, seja uma questão anatômica, urológica, biológica ou psíquica deve, preferencialmente, ser dado por um andrologista.

Andrologia e Urologia são especialidades médicas comumente confundidas, embora sejam bem diferentes.

Um urologista é um especialista no sistema urinário, tanto de homens quanto de mulheres. Na falta de um andrologista, um urologista trata das questões masculinas, sendo comum serem procurados para a realização do exame de próstata.

Já o andrologista tem um papel similar ao do ginecologista em relação às mulheres, sendo que o homem, assim como as mulheres, deveria ser assistido por um andrologista nas diferentes fases de sua vida.