No Dia Mundial do Coração, saiba como mudar hábitos e proteger o seu

Nesta sexta-feira, 29 de setembro, comemora-se o “Dia Mundial do Coração”, data instituída anos atrás para encerrar o mês dedicado, na maioria dos países, à prevenção das doenças cardiovasculares. O coração é o órgão mais atingido pelos principais problemas de saúde nos países em desenvolvimento, apesar de ser um dos mais pesquisados no corpo humano.

Em um estudo recente muito interessante foi feito o levantamento simples da incidência dos vários e conhecidos fatores de risco como o colesterol elevado, vida sedentária, hipertensão arterial, tabagismo, intolerância à glicose (antes chamado de pré-diabete), obesidade e a resposta agressiva ao estresse em geral, na população. O objetivo principal era saber se esses fatores, não sendo bem controlados, piorariam a saúde e em consequência aumentariam as mortes cardíacas da população.

Os resultados dessa pesquisa foram surpreendentes. Nos países de primeiro mundo o câncer superou o coração como causa de morte, porque a prevenção cardiológica funciona bem nesses países desenvolvidos, onde as várias e regulares campanhas de prevenção diminuíram as mortes por doenças cardiovasculares. Enquanto isso, nos países europeus chamados em desenvolvimento ou subdesenvolvidos, da antes chamada Cortina de ferro ou Europa oriental, continuaram a ter nas cardiopatias a principal causa de morte da população adulta.
Voltamos então à realidade dos fatos. As campanhas para abandono do tabagismo surtiram grande efeito na população classe A e B, enquanto na mais humilde, socialmente, o tabagismo aumentou. Esses achados se repetiram em relação aos níveis de colesterol e hipertensão arterial.

Nesta semana o governo divulgou o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), pesquisa sobre esportes na população brasileira, onde se informa que quase 30% da população praticariam esportes, o que significa 60 milhões de pessoas. Evidente que essa turma toda não está registrada nas várias federações esportivas, e sim nos parecem ser as supostas participações esportivas em locais públicos, escolas, etc.

O que vale repetir que nossos inimigos da saúde são os maus hábitos de vida, representados pelas conquistas das facilidades modernas para tudo que representa a mínima atividade física. A obesidade cresce de modo inexorável entre os jovens que serão os adultos bem obesos do Brasil. Alimentação calórica e falta de tempo para se exercitar são as causas nos jovens. O único modo de emagrecer é corrigir esses maus hábitos de vida aliado ao alto consumo de bebidas alcoólicas, muito além do razoável.

Acreditar em frutas milagrosas, tomar hormônios de tireoide, exagerar nos exercícios para emagrecer a qualquer preço (novas modalidades sem autorização médica) não é o caminho mais indicado. Consulte seu médico de confiança para saber se existe alguma doença silenciosa atrás da obesidade e, com sua orientação, siga o caminho saudável sem riscos.
Para cada 10kg de emagrecimento, a pressão arterial chega a diminuir em 20%. Malhações exageradas feitas em algumas horas de treinos, apenas desidratam de imediato, mas nunca emagrecem de modo definitivo. Seriedade e honestidade não combinam com milagres da perda de peso divulgados na web. Os médicos, nutricionistas, profissionais de educação física têm o conhecimento ético e científico para ajudar nas mudanças de hábitos de vida.